terça-feira, 7 de abril de 2009

?

Químicos de plantão, isso não será um post químico. É mais uma narrativa "normal". Com toques de química.







Late night. No sleep permitted to those who suffer. No freedom from suffer to those who think.



Insônia martelava em sua cabeça mais uma vez. "Que raios! Mais um dia com olheiras amanhã!"

[...]

"Bom dia! Nossa, que cara horrível! Caiu ácido sulfúrico em você?"

"Tenho tido insônia ultimamente..."

"Insônia é coisa de gente importante, rica ou velha. Não se aplica a você."

"Fazer o que... Vamos que é hora da prática."

Não era uma questão de riqueza, importância ou muito menos idade. Tinha insônia porque não se entendia consigo. Conflitava-se.

"Pombas! É pra colocar SULFATO DE AMÔNIOO, não bicarbonato de rutênio! Onde está sua cabeça, criatura?"

Em meio ao carnaval de espuma que sua reação atrapalhada causava, pensou na pergunta do amigo. Onde andava com a cabeça? Sempre voando durante as aulas, sempre se confundindo nas práticas. Que raios.

[...]



Fading daylight. On the way home, something might happen someday. Tonight, maybe?



Estava no metrô/trem, indo pra casa. Cheio, como sempre. Se estapeava com meia dúzia de estudantes, oito universitários e três velhinhos por meio espaço. Em sua estação, saltou e caminhou o caminho de todo dia. Cruzou a esquina de sempre. "Oi! Você aí. De jaleco."

"É comigo?"

"Quantos jalecos você vê por aqui?"

"Diga."

"Precisamos conversar."

"Mas quem diabos é você?"

"Seria clichê dizer que eu sou a sua consciência. Até porque, onde já se viu consciência de roupas pretas, deck de Magic no bolso e comendo Ruffles?"

"..."

"Ali, tem uma casa vazia. Não sou um stalker, não se preocupe."

Entraram, fazer o quê...


"Olha, é melhor dizer logo porque eu realmente preciso i..."

"Vou direto ao assunto. Você..."

Esperou a frase continuar, "você gosta de ruffles?/você sabe que dia é hoje?/você já foi à Bahia?" mas ela não continuou.

"Eu o quê? Olha, se for pr..."

"Você está passando por um momento estranho." - Se calou em meio ao comentário. Estava realmente se sentindo em um momento doido mas nunca fora de se abrir para ninguém, quanto mais a um desconhecido que acabara de jogar um pacote vazio de ruffles no chão.

"O que você quer dizer?"

"Essas besteiras, confusões, esquecimentos, têm um motivo. Eu sei qual é. Nos vemos por aí."

"Espera, que ra..." - Não deu tempo, o estranho simplesmente saiu da casa e sumiu no mundo.

"Era só o que me faltava. Desconhecidos metidos a psiquiatras."

E chegou em casa pra fazer o relatório do bicarbonato de rutênio. Ou era sulfato de amônio? Raios!


Sunny mid day. At school anything might happen, or not

"...e matei educação física semana passada também, melhor ir hoje se não vou reprovar por falta."

"Hahahah realmente não seria nada legal, vai lá. Tchau!"

Enquanto descia as escadas, passou pelo auditório e notou um rosto conhecido - o desconhecido estava encostado na porta, olhando. O que a criatura queria?

-Continua-


Químicos, digam o que acham! A história é basada em uma pessoa de verdade - e em um joguinho mental =)

By 闇騎士 & Mister V.

5 comentários:

Baba Vivi-chan disse...

adorei! sério mesmo!
amo esses posts 'historinha', se é que posso chamar assim! :P
avisem quando sair o próximo capítulo!! *-*

Himawari Kunogi disse...

I like it...
Muito bom mesmo...
amo esses posts 'historinha', se é que posso chamar assim! [2]

ChutaLetra disse...

huahuahuahuahua
Adorei o post! Muito criativo! Parabéns!:D

[te encontrei no Blog da Grasy x)]

Clover disse...

5 meses depois...

eu quero continuação!
>.<

Nina disse...

encontrei esse blog, fazendo pesquisa pro meu hell-atório de inorg e gostei muito.
estao de parabéns pela criatividade!
também gostei da 'historinha'.
só uma perguntinha: vcs sao de que unidade da cefeteq? [curiosidade, pq eu também estudo lá]